*
 

Embora tenha evitado responder a uma série de questionamentos do juiz Sério Moro no depoimento prestado na tarde desta quarta-feira (13/9), o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva voltou a artilharia contra um de seus mais recentes desafetos: Antonio Palocci. Para o petista, o ex-ministro é “calculista e frio”.

“Se ele [Palocci] fosse um objeto, seria um simulador”, afirmou Lula. O ex-presidente foi alvo de delação premiada de seu ex-ministro da Fazenda. Segundo Palocci, o líder petista foi beneficiário de acertos ilícitos feitos com a empreiteira Odebrecht. Lula, no entanto, negou as acusações perante Moro.

Uma semana antes, Palocci disse, em frente ao mesmo juiz, que Lula e a Odebrecht haviam feito um “pacto de sangue”, que incluía o pagamento de R$ 300 milhões em vantagens indevidas. O dinheiro seria uma contrapartida para que a empresa tivesse protagonismo nas grandes obras do governo federal tocadas na gestão Lula.

Nas declarações a Sérgio Moro, Lula também acusou a Polícia Federal e o Ministério Público de fazerem operações seletivas e disse ver com “desconfiança” algumas ações desses órgãos. Após o interrogatório do ex-presidente, Moro ouviu Branislav Kontic, ex-assessor de Palocci.

Nesta ação, Lula é réu por corrupção passiva e lavagem de dinheiro em relação a contratos entre a empreiteira e a Petrobras. Segundo o MPF, os repasses ilícitos da Odebrecht chegaram a R$ 75 milhões em oito compromissos com a estatal.

O montante, segundo a força-tarefa da Lava Jato, inclui um terreno de R$ 12,5 milhões para Instituto Lula e cobertura vizinha à residência do ex-presidente em São Bernardo do Campo de R$ 504 mil. (Com informações da Agência Estado)

Veja os vídeos dos depoimentos de Lula e Branislav:

*Colaborou Juliana Cavalcante

 

 

COMENTE

comunicar erro à redação