*
 

A OSX Brasil, empresa do grupo do empresário Eike Batista em recuperação judicial, confirma que a Polícia Federal e a Receita Federal estiveram nesta quinta-feira, 22, na sede da companhia e que colaborou com os agentes federais disponibilizando documentos em papel e em formato digital. A PF deflagrou ontem a 34ª fase da Operação Lava Jato, chamada Arquivo X.

Em resposta a questionamento feito pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) acerca do que foi publicado nesta quinta na imprensa sobre as investigações de supostos atos ilícitos em contratos com a Petrobras, a companhia afirma que a administração do contrato para a construção das plataformas P-67 e P-70, firmado pela Integra Offshore, é exercida pela Mendes Junior Trading e Engenharia, que tem “exclusiva responsabilidade” na relação com a Petrobras.

Ainda na nota de esclarecimento, a OSX diz que os ex-executivos envolvidos na investigação deixaram a empresa há cerca de três anos e que não possuem qualquer relação com a atual administração. “Quaisquer atos ilícitos que eventualmente possam ter sido cometidos pelos acusados certamente não refletiam o posicionamento da Companhia e, portanto, são de responsabilidade exclusiva e pessoal dos respectivos agentes.”

A OSX lembra, ainda, que há um ano divulgou fato relevante sobre instauração de um procedimento interno de apuração de supostas irregularidades, com contratação de empresa especializada.

 

 

COMENTE

Operação Lava JatoEike Batistaoperação arquivo Xosx
comunicar erro à redação