*
 

O grupo J&F divulgou, na noite desta segunda-feira (4/9) uma nota em que diz que “a interpretação precipitada dada ao material entregue pelos próprios executivos à Procuradoria-Geral da República será rapidamente esclarecida, assim que a gravação for melhor examinada”.

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, anunciou nesta segunda-feira que instaurou uma investigação sobre as tratativas da delação dos executivos do Grupo J&F, controlador da JBS. Ele anunciou que foram encontrados fatos ‘gravíssimos’ em novos áudios obtidos pela PGR, o que pode gerar a rescisão do acordo.

Segundo o comunicado da J&F, “conforme declarou a própria PGR, em nota oficial, o diálogo em questão é composto de ‘meras elucubrações, sem qualquer respaldo fático’. Ou seja, apenas cogitações de hipóteses – não houve uma palavra sequer a comprometer autoridades”.

“É verdade que ao longo do processo de decisão que levou ao acordo de colaboração, diversos profissionais foram ouvidos – mas em momento algum houve qualquer tipo de contaminação que possa comprometer o ato de boa fé dos colaboradores”, conclui a J&F, na nota.

 

 

COMENTE

Rodrigo JanotjbsJoesley Batista
comunicar erro à redação