*
 

Em nota divulgada na noite desta terça-feira (14/3) o PSDB afirma que “sempre defendeu a realização de investigações”. O presidente do partido, Aécio Neves (PSDB-MG) afirmou no texto que “este é o melhor caminho para esclarecer eventuais acusações e diferenciar inocentes dos verdadeiros culpados”.

Aécio e os senadores tucanos Aloysio Nunes (SP) e José Serra (SP) estão entre os políticos com foro privilegiado citados na lista de pedido de abertura de inquérito do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, entregue hoje ao Supremo Tribunal Federal (STF).

O ministro Aloysio Nunes Ferreira informou, em nota, que requereu, na manhã de segunda-feira (13) por meio de seu advogado, o acesso ao conteúdo da delação da Odebrecht naquilo que possa lhe dizer respeito. “E não vai se pronunciar sobre suposta menção a seu nome até ter conhecimento do teor do documento”, acrescentou.

Por meio de nota oficial, o ministro Bruno Araújo afirmou: “De acordo com a legislação eleitoral, solicitei doações para diversas empresas, inclusive a Odebrecht, como já foi anteriormente noticiado. O sistema democrático vigente estabelecia a participação de instituições privadas por meio de doações. Mantive uma relação institucional com todas essas empresas”.

 

 

COMENTE

STFPSDBAécio Nevesjanotlista de janot
comunicar erro à redação