*
 

Após reunião com o presidente Michel Temer no Palácio do Planalto, que contou com a participação de 17 parlamentares da bancada mineira na Câmara, o deputado Domingos Sávio (PSDB-MG) afirmou nesta quinta-feira (9/3) que “a reforma da Previdência, do jeito que está, não passa”.

Como tucano, o parlamentar ressaltou que o PSDB tem o compromisso de apoiar o governo, que enviou proposta de reforma ao Congresso, e disse que o Brasil precisa, sim, de um ajuste na Previdência, que garanta “o hoje e o futuro” para os trabalhadores e aposentados. No entanto, ponderou que isso não significa que a reforma não possa ser “aprimorada” pelos deputados.

“Não podemos fazer uma reforma que penalize os mais pobres. Podemos fazer uma reforma que retire privilégios, isso é que tem que ser cortado. O privilégio é que leva o Brasil a uma situação de angústia. Se cortamos, o povo vai aplaudir a reforma”, afirmou o deputado tucano.

Sávio, porém, disse que esse tema não foi discutido na reunião com o presidente. “Fizemos reivindicações para Minas Gerais, de obras importantes como a da BR-381, que é conhecida como rodovia da morte, o Rodoanel, o contorno ferroviário, obras que precisam ter um tratamento adequado”, afirmou.

Ele garantiu que as reivindicações não estão condicionadas às reformas do governo no Congresso. “Não vi ninguém condicionando uma coisa à outra”, afirmou. “Todos os deputados, a começar pelo Fabinho (Fábio Ramalho, do PMDB de Minas Gerais), se mostraram solidários com o governo, comprometido em ajudar o presidente. Nosso compromisso tem uma única condição, que o presidente nos lidere na recuperação do País”, afirmou o deputado, que disse que os interesses nacionais têm de estar em primeiro lugar.

 

 

COMENTE

PSDBCongresso NacionalDomingos SávioReforma Previdência
comunicar erro à redação