*
 

A Polícia Legislativa da Câmara dos Deputados não encontrou vestígios de nenhum artefato explosivo no Salão Verde e liberou a circulação no local no início da tarde desta segunda-feira (17/10)

Mais cedo, o acesso à área ficou interditado em decorrência de uma ligação anônima com origem de São Paulo avisando à Polícia Legislativa de que haveria uma bomba no Salão. Naquele momento, o presidente interino da Casa, Waldir Maranhão (PP-MA), estava despachando em seu gabinete. Menos de 40 parlamentares estavam na Casa.

O Salão Verde é a principal área nobre do prédio da Câmara. É por esse espaço que parlamentares e assessores acessam o plenário. A interdição do local durou poucas horas.

 

 

COMENTE

Câmarasalão verdeameaça de bomba
comunicar erro à redação