*
 

O pai de Diego Ferreira de Novais, 27 anos, que foi preso por crime sexual em ônibus pela 16ª vez neste sábado (2/8), respalda o argumento do filho sobre transtornos psiquiátricos surgidos após uma cirurgia na cabeça. Em entrevista à rádio Band News, Salvador Novais disse que “ele nunca mais bateu bem” depois que foi atropelado e passou por operação no Hospital das Clínicas de São Paulo.

O pai relata que o acidente ocorreu em 2006, quando Diego tinha 16 anos, e não sabe precisar o tipo de intervenção cirúrgica à qual o filho foi submetido.

O abusador narrou a mesma história ao ser detido na manhã deste sábado, após se masturbar com o órgão genital sobre uma mulher sentada em um ônibus e tentar segurá-la para que não pedisse ajuda.

Em depoimento informal ao delegado Rogério Nader, Diego disse que começou a “sentir necessidade” de praticar os abusos contra mulheres depois de ficar internado por dois meses, parte em estado de coma.

O pai também disse temer que o filho seja considerado um estuprador ‘normal’ por outros presos e agredido se for levado a uma prisão comum. “Melhor é um tratamento para, mais tarde, ele reconhecer o que fez e pedir perdão, sei lá, perdão a Deus pelo que fez”, sugeriu.

 

 

COMENTE

São Pauloestupro
comunicar erro à redação