*
 

Em uma manobra para acelerar a votação da PEC 241, que estabelece um teto para o aumento dos gastos do governo, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), encerrou e reabriu, na sequência, a sessão. Dessa forma, saiu da fase de discussão e já retornou com a perspectiva de votação do texto-base da PEC 241.

Após a votação do texto base, serão votados os destaques — o que deve garantir que a sessão se estenda noite adentro.

Na visão do deputado Rogério Rosso (PSD-DF), ela deve durar até, pelo menos, 23h. “É bom que não apressem muito, assim ninguém poderá dizer que a discussão foi atropelada”, avaliou.

Já o deputado tucano Luiz Carlos Hauly avalia que, com a reabertura, o prazo máximo da sessão não deve extrapolar as 23h. “Dessa forma não vamos entrar madrugada adentro”, disse.

A discussão da PEC que ficou conhecida como “PEC do teto dos gastos” gerou uma série de debates entre parlamentares da base do governo, que são  favoráveis à proposta, e da oposição, contrários a ela. Deputados do PT, PCdoB e PSOL chegaram a anunciar a obstrução da votação.

Já os deputados da base partem da avaliação que, já que é dada como praticamente certa que a aprovação da proposta, por que estender demais a discussão? Com essa avaliação, eles apoiaram a manobra.

 

 

COMENTE

CongressomanobraPEC 241PEC teto gastos
comunicar erro à redação