*
 

A mãe da pequena Sophia, bebê que tinha 8 meses quando contraiu uma infecção nos rins e morreu por causa da bactéria meningocócica, diz que o que aconteceu com sua filha pode servir como alerta para outras mães.

Tatiane Rone, de 33 anos, perdeu Sophia no dia 8 de julho. Ela confessa: foi tudo muito rápido. Mas a tragédia poderia ter sido evitada se a menina tivesse recebido a vacina contra meningite B.

À revista Crescer, Tatiane relatou os últimos acontecimentos que antecederam a morte da filha. Ela revelou que, no dia 7 de julho, Sophia estava com febre muito alta e, mesmo após ser medicada, a menina continuou quente e teve de ser levada ao hospital.

Enquanto a bebê fazia exames, a mãe descobriu pontinhos avermelhados espalhados pelo corpo dela. O médico havia pedido um hemograma e, enquanto o resultado não saía, a febre de Sophia passou e a criança foi liberada pelo hospital. Tatiane foi para casa, acreditando que a filha estivesse bem. Foi então que o mundo dos pais de Sophia virou de cabeça para baixo.

“Assim que colocamos a Sophia na maca, ela ficou toda manchada de sangue. Seus olhos estavam com sangue. Nunca vou me esquecer dessa cena. Mas ela me ouvia… Enquanto eu falava com ela, ela gemia, tentando responder”, disse Tatiane durante a história.

A morte de Sophia foi causada pela bactéria meningocócica, responsável pela meningite. Tatiana alega não ter ideia de como a bebê contraiu a bactéria, já que sequer frequentava uma creche.

Confira todo o relato de Tatiana Rone na Crescer.

 

 

COMENTE

InfecçãotragédiaBebê
comunicar erro à redação