*
 

O Superior Tribunal de Justiça negou, nesta quinta-feira (20/4), o pedido de Adriana Ancelmo para suspender o processo em que é ré, na 7ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro. Adriana é esposa do ex-governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral. O pedido foi negado pela ministra Maria Thereza de Assis.

A justiça entendeu que existe conexão entre os fatos imputados a Adriana Ancelmo no processo criminal decorrente da operação Calicute e os relativos a processos originários de duas outras investigações, em que supostamente também participavam integrantes da organização criminosa que atuava no esquema de corrupção no governo do Rio.

A defesa, entretanto, alega que entre os diversos processos resultantes das investigações não há relação – seja por conexão ou continência – que justifique não distribuir a ação penal da ex-primeira dama livremente por sorteio, refutando, portanto, a prevenção do juízo de primeiro grau.

Com a decisão do STJ, o processo prossegue normalmente na 7ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro. Adriana Ancelmo conseguiu o benefício da prisão domiciliar e aguarda a data do julgamento. (Com informações do STJ)

 

 

COMENTE

STJprocessoadriana ancelmo
comunicar erro à redação