*
 

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) prestou nesta quarta-feira (13/9) depoimento ao juiz Sérgio Moro no prédio da Justiça Federal em Curitiba (PR). O interrogatório, o segundo do petista ao magistrado, ocorreu no âmbito da ação sobre suposto recebimento de R$ 12 milhões em propinas da Odebrecht. A oitiva durou duas horas e 10 minutos.

Lula foi ovacionado e escoltado por militantes e lideranças petistas. Cerca de 300 apoiadores estão nos pontos de bloqueio feitos pela Polícia Militar, nas ruas próximas ao prédio da Justiça. O ex-presidente chegou de carro, desceu para abraçar e cumprimentar os manifestantes, e voltou para o veículo. Aplaudido, ele passou por um corredor de petistas e policiais até a entrada da Justiça, que só pode ser acessada por quem tem audiências marcadas ou trabalha no local.

O petista é acusado de crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro pelo recebimento de propinas da Odebrecht, de forma dissimulada, com a doação de um terreno de R$ 12 milhões para o Instituto Lula e de um apartamento de R$ 500 mil vizinho ao que ele mora, em São Bernardo do Campo (SP). O Ministério Público Federal (MPF) sustenta que era contrapartida por contratos na Petrobras.

Lula foi condenado por Moro em julho no processo do triplex do Guarujá (SP) a 9 anos e 6 meses de prisão – ele recorre em liberdade – por receber propinas da OAS. Além de Lula, Moro ouve nesta quarta-feira (13/9) o depoimento do ex-assessor de Palocci Branislav Kontic. O ex-presidente será interrogado primeiro. Em maio, a audiência durou cerca de 5 horas.

Manifestantes
O PT espera 5 mil pessoas para um ato em defesa do ex-presidente marcado para as 19h, na Praça Generoso Marques, na região central de Curitiba. Desde cedo, os cerca de 40 ônibus com manifestantes chegam à cidade. Os apoiadores concentram-se no local do evento e no entorno do prédio da Justiça Federal, que está bloqueado.

Cerca de mil policiais fecharam as ruas de acesso ao prédio onde Lula depôs e só moradores, imprensa e quem trabalha ou precisa ir ao fórum pode entrar no perímetro. Em maio, no primeiro depoimento de Lula, cerca de 10 mil pessoas invadiram Curitiba, para manifestações. (Elisa Clavery, Francisco Carlos de Assis, Ricardo Galhardo e Ricardo Brandt, enviados especiais)

 

 

COMENTE

luladepoimentomoro
comunicar erro à redação