*
 

A Justiça de São Paulo inocentou todos os 14 acusados pelo acidente na obra da Estação Pinheiros, na zona oeste da capital paulista, da Linha 4-Amarela, em janeiro de 2007. Sete pessoas morreram após o desmoronamento do canteiro abrir uma cratera de mais de 80 metros de diâmetro e 30 de profundidade, engolindo casas, três carros, três caminhões e um micro-ônibus que passava pela região. A decisão judicial foi divulgada pelo jornal Folha de S.Paulo nesta terça-feira (18/10).

Segundo o jornal, a juíza Aparecida Angélica Correia, da 1ª Vara Criminal de São Paulo, considerou que não ficou provado no processo que os técnicos do consórcio responsável pela obra e do Metrô tinham condições de evitar o acidente.

“Todas as equipes acompanhavam cuidadosamente cada passo da execução e não apontaram qualquer situação que indicasse a possibilidade de um acidente”, apontou a magistrada.

O Consórcio Via Amarela, responsável pelas obras do ramal, era liderado pela Odebrecht e formado também por OAS, Queiroz Galvão, Camargo Corrêa e Andrade Gutierrez.

Dos 14 acusados, cinco eram funcionários do Metrô e nove do consórcio ou de empresas terceirizadas.

De acordo com a reportagem, o Ministério Público Estadual de São Paulo (MPE-SP), autor da ação recorreu da sentença em segunda instância. O recurso deve ser analisado em novembro pelo Tribunal de Justiça.

 

 

COMENTE

metrôcrateraSão Pualo
comunicar erro à redação