*
 

Presa preventivamente, a esposa do ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral (PMDB) — que cumpre pena em presídio na capital fluminense —, Adriana Ancelmo, vai para prisão domiciliar. A decisão é do juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Criminal Federal do Rio. O magistrado decidiu substituir a prisão preventiva.

A data para soltura ainda é indefinida, porque os investigadores querem ter certeza de que o imóvel para onde ela será levada atenda aos pré-requisitos determinados. Entre eles, não ter linha telefônica e internet.

O advogado de Adriana, Alexandre Lopes, conta que ela retornará para seu apartamento, no Leblon. “Foi surpresa ter pedido aceito, esperávamos no STJ, não hoje”, admitiu.

O magistrado estabeleceu que Adriana não deverá ter acesso a internet nem telefone. Em sua decisão, considerou o fato de o casal ter dois filhos, um de 11 e outro de 14 anos.

Bretas negou a prisão domiciliar a Cabral. “A situação é completamente diferente. Quero reafirmar que a substituição não é por entender que não estão provadas as acusações é por questão personalíssima”, afirmou.

Prisão
Adriana Ancelmo está presa desde o último 6 de dezembro, no Complexo de Gericinó, em Bangu, zona oeste do Rio de Janeiro. O complexo penitenciário é o mesmo onde está o marido. Ela foi detida na Operação Calicute suspeita de lavagem de dinheiro e de se beneficiar no esquema de corrupção comandado por Cabral. (Com informações da Agência Estado)

 

 

COMENTE

prisãomulherSérgio Cabraladriana ancelmodomiciliar
comunicar erro à redação