*
 

Michele Soares Silva, de 12 anos, morreu horas depois de ser diagnosticada com gases, em Iperó (SP). A garota passou por atendimento médico na cidade e em duas Unidades Pré-Hospitalares (UPH) de Sorocaba (SP), mas não resistiu.

De acordo com o tio da menina, João Ramos Batista, em entrevista ao G1, Michele morreu no dia 24 de agosto depois de passar mal em casa durante a tarde reclamando de dores abdominais. Ela foi levada até a Unidade Básica de Saúde (UBS) do bairro George Oetterer, em Iperó. A  menor foi atendida por um médico, mas foi liberada após ele afirmar que ela estaria com gases.

Michele voltou a passar mal durante a madrugada e foi levada por parentes à UPH da Zona Oeste, em Sorocaba, que faz apenas atendimentos em crianças.

“Ela estava muito mal e com os lábios quase roxos, quase não falava direito e desmaiando. Quando chegou lá, nem olharam para ela. Negaram o atendimento porque lá falaram que só atendia até 11 anos. Como ela tinha 12 anos, não iriam atender e teríamos que ir, de carro, até a unidade na Zona Norte. Estamos chocados porque ela passou no médico à tarde e disseram que ela estava bem, mas por que ela não está mais com a gente”, disse o tio ao G1.

A família então foi até a UPH da Zona Norte, mas Michele morreu pouco mais de 40 minutos após dar entrada na unidade. “Foi muito rápido. Atendeu imediatamente, mas o médico já falou que o problema dela era grave. Não deu nem uma hora, já falaram que ela não tinha resistido”, disse.

O laudo médico aponta como causa da morte edema pulmonar, insuficiência renal e malformação renal. Inconformada, a família registrou um boletim de ocorrência na delegacia de polícia, que deve investigar o caso, e o corpo passou por exames no Instituto Medico Legal (IML), que devem ser concluídos em até 30 dias.

As secretarias de Saúde de Sorocaba e Iperó informaram que estão acompanhando a investigação e que apuram os detalhes do atendimento.

 

 

COMENTE

gases
comunicar erro à redação