*
 

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, num momento em que as taxas trimestrais do Produto Interno Bruto (PIB) estão caindo, recorreu ao critério da taxa de crescimento anualizada para se referir à sua expectativa em relação ao desempenho da economia no próximo ano. Nos Estados Unidos, por exemplo, é comum se falar em taxas anualizadas, diferente do Brasil. Meirelles, antes de entrar para participar de evento do J.P. Morgan, em São Paulo, disse a jornalistas que o PIB brasileiro chegará ao quarto trimestre de 2017, em termos anualizados, com um crescimento de 2,8%. Ele reconheceu que a economia crescerá muito pouco no começo do ano.

“Nossa expectativa é de que no último trimestre de 2017 já estejamos atingindo uma taxa anualizada de 2,8%. Começa baixo, praticamente não haverá crescimento, poderá haver pequena queda ou aumento no primeiro trimestre, mas a partir daí haverá aumento gradual, ao redor de 1%. Algumas casas estão prevendo crescimento médio um pouco menor que esse”, disse Meirelles.

Ele disse também que iria aproveitar a concentração de investidores no evento do J.P. Morgan para fazer uma avaliação da situação atual da economia brasileira para mostrar que o Brasil está vivenciando a maior crise da sua história, De acordo com o ministro, a recessão durou muito tempo, uma vez que medidas corretivas de ajuste fiscal começaram em maio enquanto a crise existe desde o final de 2014.

 




 

COMENTE

economiapib
comunicar erro à redação