*
 

Os investimentos do governo federal caíram a R$ 41,335 bilhões nos primeiros dez meses de 2016, informou nesta sexta-feira (25/11), o Tesouro Nacional. Desse total, R$ 27,363 bilhões são restos a pagar, ou seja, despesas de anos anteriores que foram transferidas para 2016. De janeiro a outubro do ano passado, os investimentos totais haviam somado R$ 45,844 bilhões

Os investimentos no Programa de Aceleração Econômica (PAC) somaram R$ 1,957 bilhão em outubro, queda real de 26,4% ante igual mês do ano passado. Já no acumulado dos dez meses do ano, as despesas com o PAC somaram R$ 28,940 bilhões, recuo de 18,8% ante igual período de 2015, já descontada a inflação.

Receitas
O caixa do governo federal recebeu R$ 103,1 milhões em dividendos pagos pelas empresas estatais em outubro, cifra 154,6% maior do que em igual mês do ano passado, já descontada a inflação. Já no acumulado do ano, as receitas com dividendos somaram R$ 1,582 bilhão, queda real de 76,0% em relação a igual período de 2015.

Já as receitas com concessões totalizaram R$ 238,3 milhões em outubro, alta real de 154,2% ante outubro de 2015. Nos dez primeiros meses de 2016, essa receita somou R$ 21,360 bilhões, alta real de 252,0% ante igual período do ano passado.

No âmbito do governo central, as contas do Tesouro Nacional somadas às do Banco Central registraram um superávit primário de R$ 52,059 bilhões em outubro. No ano, o superávit primário acumulado nas contas do Tesouro Nacional (com BC) foi de R$ 68,075 bilhões. As contas apenas do Banco Central tiveram déficit de R$ 221,7 milhões em outubro e de R$ 672,6 milhões no acumulado do ano até o mês passado. No mês passado, o resultado do INSS foi um déficit de R$ 11,245 bilhões. Já no acumulado do ano, o resultado foi negativo de R$ 123,895 bilhões.

 

 

COMENTE

comunicar erro à redação