*
 

A percepção de alívio inflacionário generalizado e consistente, como retratado no IPCA de fevereiro, elevou a possibilidade de cortes mais agressivos na taxa Selic, a começar pela reunião de abril.

Além disso, o recuo nas expectativas de inflação colabora com a avaliação de que o Banco Central (BC) deve antecipar o ciclo de flexibilização monetária, contribuindo para um juro mais baixo no fim de 2017. É o que mostra pesquisa do Projeções Broadcast realizada logo depois da divulgação do IPCA.

De 33 participantes, 27 esperam que o BC reduza o juro básico em 1 ponto porcentual em abril. Seis ainda estimam que a Selic será cortada em 0,75 ponto porcentual no encontro de abril, passando de 12,25% para 11,50% ao ano. Para o fim de 2017, as expectativas para Selic vão de 8% a 10%.

Com a inflação abaixo do previsto e as expectativas de queda mais agressiva da Selic, os juros futuros fecharam ontem com forte recuo. O contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) para julho de 2017 caiu de 11,32% para 11,23%, e a taxa do DI para janeiro de 2018 foi de 10,25% para 10,08%. A taxa do DI para janeiro de 2019, por sua vez, caiu de 9,80% para 9,58%. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

 

 

COMENTE

inflaçãoipcataxa selic
comunicar erro à redação