*
 

As autoridades colombianas querem organizar um cortejo fúnebre nesta sexta-feira (2/11) para transportar os 64 brasileiros mortos no acidente aéreo com o voo da Chapecoense, na noite desta terça-feira (29), a 17 quilômetros do Aeroporto Internacional de Rionegro, nos arredores de Medellín. O plano é colocar cada vítima em um carro, decorado com o escudo do clube catarinense, e fazer uma caravana pela manhã até a base militar, de onde sairá o transporte para o Brasil.

Segundo a Secretária de Governo do Departamento de Antioquia, Maria Victoria Ramirez, o plano é dar à população uma nova chance de prestar homenagens. “Vimos como foi o ato no estádio, foi muito bonito. Dependendo da velocidade em que os corpos forem liberados, queremos organizar um comboio até o aeroporto, para que os colombianos possam se despedir”, afirmou.

Na noite de quarta-feira (30), no horário em que seria realizada a partida entre Chapecoense e Atlético Nacional, pela final da Sul-Americana, o estádio Atanasio Girardot ficou lotado em uma vigília em memória das vítimas.

De acordo com o diretor executivo da funerária, Jorge Escobar, apesar de as 71 vítimas — 64 delas brasileiras — já terem sido identificadas, somente 15 delas saíram do Instituto de Medicina Legal de Medellín para que começassem a ser preparadas para o transporte aéreo e o posterior enterro. “Cada corpo leva aproximadamente seis horas para ser preparado. Temos muito cuidado com a preservação”, explicou.

Pelas estimativas dele, entre oito e nove horas da manhã desta sexta-feira (2) todo o trabalho de preparação será finalizado, assim como a documentação.

 




 

COMENTE

ChapecoenseColômbia
comunicar erro à redação