*
 

A ida do ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, à Boa Vista (RR) foi cancelada após o presidente Michel Temer conversar no início da tarde desta sexta-feira (6/1) por telefone, com a governadora do Estado, Suely Campos.

O desembarque do ministro na capital de Roraima foi comunicado aos jornalistas durante a coletiva de imprensa, realizada no Palácio do Planalto, na manhã desta sexta-feira, em que Moraes detalhou os principais pontos do Plano Nacional de Segurança Pública.

De acordo com a assessoria do ministro, logo após a entrevista, Moraes se reuniu com Temer, no gabinete do presidente. Na ocasião, Temer entrou em contato por telefone com a governadora, que na conversa teria dito que “tudo estava sob controle” e que não havia necessidade da ida do ministro ao Estado.

Por meio da assessoria, Alexandre de Moraes negou que o cancelamento da viagem tenha alguma relação com o fato de o ministério ter negado um pedido do governo de Roraima, feito em novembro do ano passado, para que o governo federal enviasse a Força Nacional para reforçar a segurança no sistema prisional do Estado. Em ofício enviado no dia 21 de novembro, o governo de Roraima solicitou ajuda “em caráter de urgência”.

Matança
Cinco dias após o massacre de 60 presos em prisões do Amazonas – a maior parte ligada à facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC) -, outra matança dentro de penitenciária foi registrada nesta sexta-feira, 6, desta vez em Boa Vista, capital de Roraima. Segundo o governo do Estado, 33 detentos foram assassinados nesta madrugada, na Penitenciária Agrícola de Boa Vista (PAMC). A maioria das vítimas foi decapitada, teve o coração arrancado ou foi desmembrada. Os corpos foram jogados em um corredor que dá acesso às alas.

 

 

COMENTE

ministroRoraimaalexandre moraes
comunicar erro à redação