*
 

Fotos de Françoise de Souza Oliveira, 40 anos, mulher do embaixador da Grécia Kyriacos Amiridis, 59 anos, estão circulando nas redes sociais. Ela está presa temporariamente suspeita de ter planejado a morte do diplomata. A imagem foi tirada da tela de um computador da administração do Sistema Penitenciário de Gericinó, no Rio de Janeiro.

Os advogados de Françoise enviaram uma carta aos policiais gregos que acompanham as investigações da Delegacia de Homicídios sobre a morte do embaixador. No documento, a mulher nega ter assassinado o marido.

A prisão dela foi decretada pela Justiça. Segundo as investigações, ela, o policial militar Sérgio Gomes Moreira Filho e o primo do PM Eduardo Moreira Tedeschi foram detidos apontados pelo delegado Evaristo Pontes, da Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense, como responsáveis por matar e tentar ocultar o corpo do embaixador.

Em seu depoimento, o policial Sérgio Moreira Filho chegou a dizer que se envolveu em uma briga com o embaixador para se defender. Depois, ele admitiu ser o responsável pela morte de Amiridis.

De acordo com as investigações, a mulher mantinha um relacionamento extraconjugal com o PM e teria oferecido R$ 80 mil ao primo do militar para ajudar no assassinato do embaixador, que morava em Brasília, mas passava férias no Rio de Janeiro, na casa que a família tinha em Nova Iguaçu.

O carro alugado pelo diplomata foi encontrado queimado com um corpo dentro. A perícia recolheu material da filha e da mãe de Kyriacos para comparar com os restos carbonizados e confirmar a identidade do cadáver.

 

 

COMENTE

Rio de Janeiroembaixador gregoFrançoise de Souza Oliveira
comunicar erro à redação